• Autor - Relaction

Como posso promover uma autoestima saudável nos meus filhos?

A autoestima é a avaliação que a pessoa faz de si mesma, ou seja, as crenças e opiniões que tem acerca de si própria, mais o valor que acredita ter enquanto pessoa. Inclui também um conjunto de comportamentos e pensamentos relacionados com a confiança, segurança e valorização pessoal observáveis nas relações que a pessoa estabelece com os outros e com o mundo. De facto, é uma das variáveis mais importantes para o bem-estar psicológico e para uma boa saúde mental, pois uma pessoa que acredita em si e que desenvolveu a sua autoconfiança tem maior probabilidade de lidar com as inevitáveis dificuldades da sua vida e com os fracassos.

É desde bem novinhos que começamos a formar um conceito acerca de nós mesmos a partir da forma como os outros nos veem (pais, professores, colegas, amigos, etc.) e das experiências que vamos adquirindo. Por esta razão, considera-se que a autoestima é um processo sujeito a mudança, sendo estabelecida e estruturada desde a infância, mas que pode alterar-se ao longo da vida. A sua construção é influenciada por diversos fatores, tais como: individual – relacionado com a imagem corporal, capacidades físicas e intelectuais, entre outros; figuras significativas – como os pais, irmãos, professores, colegas, entre outros; e, fatores sociais – como os valores, a cultura, as crenças, entre outros.

Deste modo, e considerando que os pais/cuidadores, como figuras significativas, desempenham um papel elementar na promoção de uma autoestima saudável nos seus filhos, aqui ficam algumas sugestões de como estes poderão fazê-lo:

Aposte no elogio e no encorajamento. Os elogios devem ser específicos e sinceros, para que a criança compreenda de que forma determinado comportamento foi valorizado. No entanto, o elogio não basta. Mais importante que isso é a qualidade das experiências que a criança irá ter para o bom desenvolvimento da sua autoestima. Como cuidador/a, pode ajudar nesse processo ao encorajar a criança à medida que esta vai superando determinada tarefa/atividade.

Não espere pela perfeição. As crianças precisam de saber que os seus pais as aceitarão tal como são, com todos os seus defeitos e fragilidades. Esta aceitação ajuda as crianças a sentirem-se autoconfiantes.

Escute e responda às questões dos seus filhos. Ao fazer isso, irá mostrar que as suas perguntas e opiniões são importantes para si. Quando não encontrar uma resposta, não invente uma, nem evite a pergunta, apenas responda de forma sincera e reconheça que não é detentor de todo o conhecimento.

Incentive a tomada de decisão por si próprios. É importante que as crianças aprendam que cada decisão tem a sua própria consequência e, para isso, é essencial que tomem as suas próprias decisões, não invalidando a ajuda do adulto nesse processo (por exemplo, através da reflexão acerca das perdas e ganhos de cada decisão).

Atribua responsabilidades aos seus filhos. Responsabilidades como tarefas diárias ou semanais permitem que as crianças saibam que os pais acreditam que elas são capazes e confiam nelas para concluírem as tarefas.

Incentive os seus filhos a realizarem atividades do seu interesse. Os pais devem apoiar os seus filhos a participarem em atividades que lhes despertam interesse e nas quais se podem destacar, contribuindo para o aumento da sua autoconfiança.

©2016 - 2019 by Rota360º